Assinatura RSS

Arquivo da categoria: Filmes e Cinema

II Edição do CineFacom para curtas documentais – Inscrições Abertas

Inscrições segunda ediçãoCine Facom_com exibição

CineFacom prorroga Inscrições até 14 de março, próxima quinta-feira.

A II Edição do Projeto CineFacom está inscrevendo curta-metragem documentais de até 15 minutos.

Continuam abertas as inscrições para o Projeto CineFacom que está em sua segunda Edição. O projeto tem o objetivo de reunir, expor e debater a produção audiovisual dos estudantes da UFBA e é promovido pelo Centro Acadêmico Vladimir Herzog (CAFacom), através da gestão Outras Palavras. Com a prorrogação das inscrições o evento também foi remarcado para o dia 20 de março as 18h30 no Auditório da Faculdade de Comunicação.  A primeira edição aconteceu dia 27 de fevereiro às 19h e contou com a exibição de cinco curtas de ficção, seguido de debate com os diretores, mediado pelo professor de Semiótica e Roteiro Fábio Sadao.

Para se inscrever o interessado deve encaminhar um e-mail para outraspalavras.cafacom@gmail.com, solicitando o formulário de inscrição até o dia 14/03/2013. O vídeo pode ser enviado por link até a seleção, mas para a exibição no CineFacom deve ser entregue um DVD no CAFacom para os organizadores do evento.

SERVIÇO:

O que: II Edição do CineFacom para curtas documentais de até 15 minutos

Quando: Inscrições até 14/03/2013

EXIBIÇÃO: 20/03/2013

Onde: Auditório da Faculdade de Comunicação.

Quem: Gestão Outras Palavras.

Leia o resto deste post

Anúncios

Especial Por trás da maldição: Sombras da Noite

Johnny Depp como Barnabás Collins

Sombras da Noite é a oitava parceria do diretor Tim Burton com o ator Johnny Depp e a sétima parceria do diretor com sua mulher, a atriz Helena Bonham Carter. A eterna Michelle Pfeiffer trabalha pela primeira vez em 20 anos o diretor!

Sexta-feira, dia 06 de julho (amanhã), o canal de TV por assinatura Warner Channel exibe o especial “Por trás da maldição: Sombras da Noite”. O programa trará entrevistas inéditas com os atores do filme, sobre a experiência nos sets de filmagem e será exibido às 01:00 da manhã.

O horário não é muito favorável! Mas a galera que madruga vai super curtir esse especial! Eu juro que ou fazer um esforço.

Se quiserem ler a sinopse do filme clique aqui. Esse post trás, além da sinopse, a bilheteria do filme na sua semana de estréia.

Na postagem “Sombras da Noite: Agora pra valer!” eu trago a minha crítica ao filme. Mas não se preocupem, eu não estrago nada 😉

FONTE: Site Johnny Depp forever

Sombras da Noite – Agora pra valer!

Booa Tarde queridos!!

A postagem retrasada, “Mais uma produção Depp-Burton-Carter“, fala sobre o novo filme do diretor Tim Burton, estrelado por Johnny Depp e com a participação de Helena B. Carter (mulher do Tim) – Sombras da Noite (ing. Dark Shadows). Prometi no post, que mostra apenas o trailer, a sinopse e a bilheteria do filme (eu ainda não havia assistido), que assim que fosse ao cinema vê-lo iria postar a minha avaliação sobre o filme, que completa a oitava parceria Burton-Depp. Então, aqui vamos nós!

Primeiro ponto: Trilha Sonora! Por pouco eu não levantei e saí dançando pelo sala do cinema. Às vezes fiquei até em dúvida se era realmente um filme de Tim Burton! Mas explico! a trilha sonora a que me refiro são músicas da década de 70, na qual se passa o filme, como “Top of the World” do The Carpenters (impossível parar de ouvir) e “You’re the First, the Last, My Everything” de Barry White. As músicas obscuras, típicas das obras do diretor, estão também presentes no filme. Veja a trilha completa aqui!

O enredo é bom. A mistura do suspense e do terror, no estilo meio fantasmagórico, com um bom toque de humor, garante a diversão no filme, que é predominantemente um passatempo. O amor tem um papel importante no filme, que aparece no estilo amor puro e amor psicopata. Muito sangue também aparece na telona.

A comédia fica por conta, principalmente, dos momentos em que Barnabás Collins (Depp), que retorna ao mundo depois de 200 anos preso num caixão, tenta entender os costumes da época – o início dos anos 70.

E sim, o filme possui pontos fracos. Por exemplo, Helena B. Carter, que apesar de trabalhar sempre e quase-somente nos filmes do marido, é uma ótima atriz, porém neste filme seu papel é quase irrelevante. O elenco é muito bom, contando com também com Michelle Pfeiffer e  Eva Green. Esta última interpreta a bruxa Angelique, que almadiçoa Barnabás (Depp), e está linda e poderosa. Já Michelle, que interpreta Elizabeth Collins, uma parente distante de Barnabás, já teve papéis melhores.

Helena B. Carter no papel da Dra. Julia Hoffman

Eva Green, linda e loira no papel de Angelique

A atriz australiana Bella Heathcote, uma quase-estreante que mais parece com Sophie Charlote, interpreta dois dos papéis principais do filme (que na verdade são a mesma pessoa, ou a mesma alma, quem sabe…), que são Victoria Winters / Josette DuPres, o(s) par(es) romântico(s) de Johnny Depp (p.s – ela beija ele –‘). Não sei se ela é boa atriz ou não, pois ela manteve-se no estilo Bella – Crepúsculo ( a mesma cara o filme inteiro).

O cenário e o figurino são bem ricos, seguindo a linha de filmes do Burton. A maquiagem, como sempre,  é incrível! Me pareceu a personificação do bonequinho de “A Noiva Cadáver”. Os efeitos visuais são razoáveis, nada tão perfeito. Ainda é possível ver algumas cenas bem “calientes”, como um “presentinho” que a doutora Julia Hoffman (Helena B. Carter) dá a Barnabás.

Bella Heatccote – par romântico do ator Johnny Depp

Enfim, quem gosta de ver um filme para se divertir, deixando completamente de lado a realidade, pode assistir Sombras da Noite! Eu gostei e indico! Johnny está incrível, como sempre, e consegue passar cada emoção do seu personagem. O filme ainda apresenta um lado bem romântico! E Barnabás, apesar dos quilos de maquiagen, é apaixonante!

Não se alguém irá concordar, mas fiquei com uma leve impressão de continuação no final do filme…

Barnabás e a vilã, Angelique.

Corra para o cinema mais próximo!

Boa Sessão!!

Adoro Cinema;

A fotografia como instrumento de consolidação da fama.

“A fotografia foi fundamental para a difusão e consolidação da imagem de várias musas nos anos 1950” (BELÉM, Alexandre). Muitas atrizes populares no cinema se tornavam ainda mais populares mundialmente através das matérias em revistas ilustradas, que, no período pós-guerra, passaram a se dedicar à cobertura de famosos.

É na década de 50 que os modelos hollywoodianos de mulheres, como o da “ingênua chique”, o da “femme fatale” , e, principalmente as “pin-ups” (loiras de grandes bustos), ganham grande destaque no ideal feminino em todo o mundo, que  passaram a se inspirar nesses modelos, difundidos pelas fotos jornalísticas. As estrelas de maior destaque nessa época eram Marilyn Monroe, Audrey Hepburn e a francesa Brigitte Bardot, nomes que até hoje são sinônimos de sensualidade e beleza. Haviam outras, é claro.

Brigitte Bardot – atriz francesa

Audrey Hepburn, a eterna Bonequinha de Luxo – estilo “ingênua chique”

Marilyn Monroe

50 anos depois, a coisa não mudou muito. Não só atrizes, como modelos, cantoras e uma categoria a parte chamada “ex-participantes de reality shows” inúteis, têm utilizado a mídia impressa para buscar mais popularidade, impor (ou não) tendências, e, o mais interessante, lançar polêmicas para chamar a atenção!

A moda “boyfriend jeans” (do inglês “Jeans do Namorado“), na qual as mulheres usam roupas masculinas com um toque femino, foi, até onde eu sei, lançada pela fofa atriz Katie Holmes, ex- mulher do nem-um-pouco-feio Tom Cruise (separaram-se esse ano). Katie saiu na rua usando uma calça meio masculina e, no dia seguinte, milhões de mulheres foram às lojas (ou ao guarda-roupa de seus parceiros) pegar uma calça igual a que viram nas revistas.

Katie Holmes – Boyfriend Jeans

O mais recente exemplo de estilo difundido em muitas partes do mundo é, acreditem, o do ilustre jogador Neymar, que, não sei como, conseguiu a admiração de vários garotos que se inspiraram no seu moicano cor de mostarda! Veja a foto:

Neymar – jogador adorado mundialmente

Há vários outros exemplos que poderiam ser aqui contemplados, mas estes servem perfeitamente para demostrar a tese de que a mídia impressa (revistas, jornais) tem mais do que influência no modo de se vestir, e até de se comportar, de muitas pessoas não só dos dias de hoje. Foi, e é assim, que Hollywood conseguiu se manter um exemplo a ser seguido.

 Por Letícia Moreia.

FONTE: Revista VejaWikipedia,

Mais uma produção Depp-Burton-Carter!

Sombras da Noite ( ing. Dark Shadows) o último filme da mais famosa parceria entre o ator “camaleão”* Johnny Depp e o irreverente diretor Tim Burton, com a presença obrigatória de Helena B. Carter (ótima), está sendo bem recebido no Brasil, ao que me parece!

* Johnny é conhecido como “ator camaleão” devido à sua capacidade de interpretar maravilhosamente bem diversos tipo de papéis, principalmente os mais esquisitos.

PASMEM, mas eu ainda não assisti ao filme! Então não poderei compartilhar minhas opiniões nesta postagem. Pouquíssimas são as chances de eu não gostar, afinal, poucas foram as obra dessa parceria, que tem rendido bons frutos, não ter dado certo (segundo alguns críticos, mas os fãs sempre gostam). Mas, os diretores são uma caixinha de surpresas!

Segundo o site Adoro Cinema, na sua primeira semana em tela, no Brasil, o filme ocupa o terceiro lugar nas bilheterias, com um total de, aproximadamente, 213.000 ingressos vendidos no dia da estréia – sexta, 22 de junho. O filme está em primeiro lugar na enquete  “melhores filmes em cartaz”,  realizada pelo site.

Como ainda não vi Sombras da Noite, não poderei também oferecer minha sinopse pessoal, então citarei o próprio site:

“1752. Joshua (Ivan Kaye) e Naomi Collins (Susanna Cappellaro) deixam a cidade inglesa de Liverpool juntamente com o filho, Barnabás, rumo aos Estados Unidos. A intenção deles era escapar de uma terrível maldição que atingiu a família. Vinte anos depois, Barnabás (Johnny Depp) é um playboy inveterado que tem a cidade de Collinsport aos seus pés. Após seduzir e partir o coração de Angelique Bouchard (Eva Green), sem saber que era uma bruxa, ele é transformado em vampiro e preso numa tumba por dois séculos. Quando enfim desperta, dois séculos depois, encontra sua propriedade em ruínas e os poucos familiares ainda vivos escondem segredos uns dos outros. Em meio a um mundo desconhecido, Barnabás se interessa por Victoria Winters (Bella Heathcote), a tutora do jovem David (Gulliver McGrath).”

Assistam ao trailer legendado – para incentivar a ida ao cinema:

Depp e Eva Green

Procure o cinema mais próximo e aguarde um post mais detalhado!

Clique aqui e veja os cinemas e os horários de exibição do filme em Salvador.

Clique aqui e veja os horários disponíveis em Feira de Santana.

 FONTES: AdoroCinema; Orient Cinemas;

Especial Dia dos Namorados – 4 Filmes para curtir esse dia!

O amor é o sentimento dos seres imperfeitos, posto que a função do amor é levar o ser humano à perfeição. Como são sábios aqueles que se entregam às loucuras do amor! Joshua Cooke

Boa Noite!! Hoje é, comercialmente “convencionado”, um dia dedicado aos belos casais apaixonados. Nesse dia extremamente normal, ops!, especial, o blog Mais Que Sétima Arte selecionou 4 excelentes filmes sobre o amor.

Para você que está sozinho (e feliz), bem-vindo!, os filme abaixo são também uma boa pedida para a noite, convide um amigo(a) ou curta “alone”!

Chame seu amor (ou não) e divirtam-se!

Brincadeiras à parte, desejo aos belos casais enamorados uma boa sessão e um dia muito especial!

I Love You!

xoxo.

1º EU ODEIO O DIA DOS NAMORADOS

(ing. I Hate Valentine’s Day)

Genevieve e Greg

Uma das melhores comédias românticas que eu já assisti! Estrelado e dirigido pela incrível Nia Vardalos (uma fofa), que novamente contracena com  John Corbett (ambos atuaram como par romântico em Casamento Grego) . Nia interpreta Genevieve, dona de floricultura que ama o dia dos namorados, afinal, é quando suas vendas ficam em alta. No fundo, ela foge de relacionamentos sérios, e segue uma regra de ter apenas 5 encontros, a fim de evitar o sofrimento que os relacionamentos causam. É um tipo de conselheira amorosa para os seus amigos. Suas concepções ficam abaladas quando aparece Greg ( John Corbett), a quem ensina sua tática e eles resolvem testar os 5 encontros. Mas esses 5 encontros parecem não ser o suficiente para Genevieve.

Há quem o considere apenas mais um clichê romântico. De fato, é um clichê romântico, mas é muito fofo e vale a pena assistir. Afinal, nem todo filme precisar ser engajado, e, um romance às vezes é bom!

2º A PROPOSTA

(ing. The Proposal)

       Dirigido por Anne Fletcher, é mais uma comédia romântica, mas com um toque de drama. Talvez seja a melhor comédia romântica já escrita. Um filme muito bom e eu mais que indico. O toque de ironia aumenta ainda mais o senso de humor presente no filme. Produzido em 2009, é um bom enredo, que ganhou vários  prêmios. Estrelando Sandra Bullock (a melhor!) e Ryan Reynolds – casal que deu tão certo que chegou a ser elogiado por alguns críticos. Bullock interpreta Margaret Tate, uma poderosa editora que recebe ordens para voltar a seu país natal, o Canadá. Esperta, Tate afirma estar noiva do seu desprevenido assistente Andrew Paxton (Reynolds) para que possa permanecer nos EUA. Para isso, eles precisam provar que estão seriamente comprometidos, e então Margaret viaja ao Alasca para conhecer a família do seu “noivo”, que insiste que eles se casem lá. Ambos seguem o plano, apesar das consequências.

Como quase todo filme com Sandra Bullock no elenco, essa comédia foi bem recebida pelo público e ficou em primeiro lugar nas bilheterias. O elenco conta com a ilustre Betty White. Não percam!

3º SABRINA (1954)

Humphrey Bogart, Audrey H. e William Holden

Recebeu o Globo de Ouro de Melhor Roteiro. É um dos mais conhecidos filmes com a atriz Audrey Hepburn, que interpreta Sabrina, filha do motorista da poderosa família Larrabee. Sabrina sempre apaixonada pelo mauricinho David Larrabee (William Holden), que não “dava a mínima” para a jovem. Ela então passa dois anos em Paris, na esperança de esquecer David, porém, ao retornar, os sentimentos voltam à tona, e, dessa vez, David se encanta pela moça. O casamento deles, porém, seria prejudicial a uma fusão que a empresa da família faria, assim, Linus Larrabee (Humphrey Bogart), empresário e irmão mais velho de David decide intervir e acaba também se apaixonando pela encantadora moça. O interessante desse filme são as formas de amor que ele mostra. Primeiro, a paixão juvenil, cheia de ilusões e esperanças, com representação da típica figura do playboy – comum na juventude de muitas garotas. Depois, aparece um amor mais maduro, menos meloso e mais “sério” (no bom sentido da palavra), é o amor representado pelo irmão mais velho, que é mais responsável e menos aventureiro. É um amor até mais verdadeiro. O elenco é ótimo e o roteiro é muito bom! É uma boa pedida para a noite. A trilha sonora inclui a bela canção, quase o tema de Paris, La Vie En Rose, da cantora Edith Piaf. 

Há um remake mais recente, de 1993, mas ainda prefiro a versão antiga.

4º O AMOR PODE DAR CERTO

(ing. Griffin & Phoenix)

Assisti já faz um bom tempo, mas não tem como esquecer uma bela história como essa. Antes de mais nada, aviso que nesse filme há pouco de comédia e muito de drama,então prepare o lenço, mas não desista!Vale a pena ver! Henry Griffin (Dermot Mulroney) descobre que está com câncer terminal e decide viver sua vida ao máximo. Em uma aula de psicologia, conhece Sara Phoenix (Amanda Peet), e mais tarde descobre que ela também possui uma doença terminal. Com pouco tempo de vida, os dois se envolvem e seu relacionamento parece ser a última chance que eles têm de conhecer o amor verdadeiro.

Obrigada pela visita, e volte sempre!

Aceito sugestões e críticas! Não deixem de comentar!

FONTE: Adoro Cinema;

50 anos sem Marilyn – especial no TelecineCult

Há 50 anos, morria um dos maiores ícones do cinema e uma das mulheres mais populares e sensuais que o mundo já conheceu. Marilyn Monroe faleceu, aos 36 anos, em 5 de agosto de 1962. As homenagens à atriz já começaram, a exemplo do Festival de Cannes 2012 que realizou um tributo à Marilyn e o filme My Week With Marilyn (Sete Dias Com Marilyn, em pt.), de Simon Curtis, que ainda está sendo exibido em alguns cinemas.

*Descubra mais sobre Marilyn na postagem anterior!!

O canal fechado Telecine Cult exibe, aos sábados e domingos, durante o mês de junho, o especial “50 anos sem Marilyn”, a partir das 15:00. Com início no dia 02 de junho, o TcCult exibiu “O Segredo das Viúvas (1951), de Joseph Newman, e “Adorável Pecadora” (1960), de George Cukor (ambos no dia 02); “Quanto Mais Quente Melhor , de Billy Wilder (em 03/06). Faltam ainda: Torrentes de Paixão , de Henry Hathaway, em 09/06 e “O Rio das Almas Perdidas” em 16/06.

Quem ainda não assistiu aos filmes dessa grande atriz, não percam essa oportunidade!.

Saiba mais informações, sobre o especial, no Site do Telecine ou na página do TcCult no Facebook e sobre a vida e carreira de Marilyn na postagem Happy Birthday Marilyn!.

“Mulheres comportadas, raramente fazem historia”